terça-feira, 1 de junho de 2010

Que estranho, eu não te esqueci.


O que eu acabo de sentir é a mais angustiante e indomável saudade de você.
         Lembrei agora de você, e é extasiaste como nesse momento me passou na cabeça, um filme de tudo o que eu vivi do teu lado. Foi imprudente da minha parte, e foi mais um erro dos meus milhares, mas me bateu uma saudade de você. Sei que você também sente a minha falta, sei que você ainda pensa em mim de vez enquanto.Por mais que tenha acontecido tanta coisa errada entre nós dois. Porque, assim como eu fui importante pra ti, você foi pra mim. Foi a coisa mais linda que eu já vivi em toda a minha vida.. Lembro da primeira vez que falei com seu amigo no telefone, e disse que te amava mais que tudo, sem saber que você estava escutando. E que foi nesse segundo, que uma lágrima rolou dos teus olhos escorreu pela tua face, e terminou nos teus lábios, que por muitas noites me tirou o sono, e me fez desejar.. Hoje, eu queria ser uma canção, pra poder tocar o teu coração, apenas uma vez mais, hoje eu queria ser um perfume, pra ficar o dia todo vagando por tuas narinas sem direcção alguma. 
         Eu sinto falta do jeito que você me tratava, e do quanto você dizia ser feliz comigo, eu sinto falta do seu jeito de ser, do seu orgulho doentio que muitas vezes me deixou sem direcção, eu sinto falta das vezes que você desejava estar comigo, ou de quando mandava eu abraçar o travesseiro, porque ele era a única coisa que você queria que substituice a ti, enquanto eu não podia te ter aqui. Eu sinto falta das noites que eu perdia imaginando você comigo, com a certeza de nunca te ter aqui. Eu sinto falta dos teus olhos brilhando, e a pureza que eu encontrava no fundo deles. Falta daquela alegria que tu me proporcionava ou do quanto se importava quando me via triste. Eu sinto falta das nossas brigas, do quanto você odiava meus amigos, falta daquela cara amassada de tanto dormir. de ouvir a tua voz pelo telefone, ouvir o teu riso, ao me ouvir falar. Eu sinto saudade, da tua presença diária, da tua intensidade, das tuas palavras que por tanto tempo induziram a minha direcção.
         Eu sinto saudade daqueles anos que passavam como a agua que passa por de baixo da ponte, e que te levaram de mim em um piscar de olhos. Eu tenho saudade de ver meu coração apertado de tanto chorar, de não conseguir dormir, de socar a parede, de ficar tão feliz a ponto de não ligar pra mais nada. Eu sinto saudade das tuas mensagens me acordando de manhã. Do teu carinho, do teu encanto. Eu lembro que costumávamos correr pra janela e olhar pra lua ao mesmo tempo, porque ela era a única coisa que podia estar com nós no mesmo momento, eu sinto tanta falta de você por inteiro. Eu lembro, de enjoar de tanto mimo, lembro que você era tão meloso quanto eu. Lembro da ansiedade que eu tinha de deixar todo o resto do mundo e viver apenas pra ti. Aquilo que eu sentia, por você era tudo que eu podia resumir em amor. E sim, eu também sinto falta do jeito que você me amava. Do amor que você me dava. Do quanto eu me sentia bem estando contigo, você é a coisa mais maravilhosa que já me aconteceu.
         As vezes que eu pulava o muro do colégio, ou pedia pra ir embora, só pra estar um pouco mais com você. Ah era tão lindo o jeito que você se importava comigo, era tão cativante a forma com a qual você dizia que não saberia viver sem mim. Lembro que falávamos o dia inteiro de amor, e no final do dia, ainda existia amor o suficiente pra amanhã. Ah que saudade, do tempo em que tu era meu, que teu mundo era meu, que saudade de ter você pra mim.
         Uma coisa é certa, nem o tempo, nem a distancia, nem a sua ida repentina, nem as minhas atitudes, nem as tuas. NADA. Te leva de mim. Porque tu deixou rastros, que nenhum ser humano deixou, você não era meu costume como os outros falavam. Você era meu vicio sim, mas era meu vicio amado, a coisa mais importante pra mim. Se um dia eu te ver de longe passar, eu vou ter feito a única coisa que eu mais precisava na minha vida. Que era te ter no horizonte dos meus olhos. Pois eu nunca sonhei com algo maior do que saber se tudo aquilo que você me fez viver, era real mesmo. Eu sempre tive medo, de tu ser algo sublime, um anjo, ou outra coisa qualquer. Porque era impossível alguém como você, porque você era perfeito.

1 comentários:

Nati disse...

Emocionei, sério! Suas palavras me tocaram! Amei seu blog, voltarei sempre aqui :)

Postar um comentário